Perguntas mais frequentes

1. AIC faz parte dos currículos das universidades e faculdades brasileiras?

Ainda não. Por ser relativamente nova no Brasil, a IC somente agora começa despontar como curso de pós-graduação em algumas faculdades privadas.

 

2. A Inteligência Competitiva é a mesma utilizada pelos Estados?

De certa forma, sim. A metodologia empregada é a mesma. Diferem, no entanto, quanto á abrangência.

A Inteligência de Estado tem por finalidade principal manter-se informada sobre as dificuldades e óbices que se contrapõem à execução de seus objetivos estratégicos, seja internamente ou no exterior. Isto inclui estudos sobre os cinco campos do poder:

 

3. AInteligência Competitiva pode realizar alguma ação ilegal?

O princípio básico da IC é que ela não pode violar as normas legais do país onde atua.

 

4. Business Intelligence (BI) é o mesmo que Inteligência Competitiva (IC)?

Não. Apesar de encontramos algumas citações que utilizam os termos como sinônimos, na maioria das vezes o primeiro está sendo empregado pelas empresas de tecnologia da informação como conjunto de ferramentas utilizadas para auxiliar nos negócios tais como: data warehouse, data mining, CRM, ferramentas OLAP e outras. Quando falamos de Inteligência Competitiva, estamos nos referindo a um processo muito maior que engloba a obtenção e tratamento de informações informais advindas das redes mantidas pelos sistemas de IC, nas quais as informações de BI estão inseridas.

 

5. Como é visto o mercado para os profissionais de IC no Brasil?

A IC é um mercado que tende a se expandir no Brasil, como aconteceu nos Estados Unidos, que já contam com milhares de empresas e profissionais. Em termos salariais, as pesquisas mostram que o salário de um profissional de IC, no Brasil, se situa entre R$ 3.000,00 e R$ 7.000,00. Assim, acredita-se que o mercado brasileiro continuará a demandar profissionais bem treinados, com boa remuneração.

 

6. Inteligência Competitiva é o mesmo que espionagem?

Não. Espionagem é a busca ou acesso não autorizado a dados, informações e outros conhecimentos sensíveis, ou seja, é o uso de práticas ilegais para a obtenção de dados e informações. No entanto, quase toda a informação necessária a um profissional de IC pode ser coletada por meio do exame de informações públicas, por entrevistas e usando métodos éticos e legais. Além disso, a introdução de Sistemas de Inteligência Competitiva nas empresas tem mostrado que boa parte dessas informações já se encontram dentro da própria empresa, faltando apenas a montagem de um sistema capaz de capta-las e gerenciá-las.

  

7. O que é Contra-Inteligência Competitiva?

As atividades de contra-Inteligência Competitiva foram desenvolvidas e adaptadas a partir das técnicas aplicadas no meio militar e de Estado e, no seu sentido mais amplo, podem ser entendidas como sendo as que objetivam neutralizar as ações de espionagem. As ações de contra-inteligência buscam detectar o invasor, neutralizar sua atuação, recuperar, ou mesmo contra-atacar por meio da produção de desinformação.

No que concerne específicamente ao âmbito empresarial, não basta focar somente ações e técnicas relacionadas ao estabelecimento das vantagens competitivas obtidas. Torna-se fundamental, também, a aplicação de técnicas e ferramentas para a manutenção dessas vantagens, incluindo a proteção do chamado conhecimento sensível.

Com o fim de abranger todas as eventuais vulnerabilidades, as medidas de proteção devem contemplar ações nos mais variados segmentos das instituições,incluindo áreas e instalações, documentos e materiais, sistemas de informação e, principalmetne, as pessoas, o elo mais fraco e vulnerável da corrente. Tal nível de abrangência é fundamental para permitir redução das vulnerabilidades.

 

8. O que é Contra-Inteligência

É a atividade que objetiva neutralizar as ações de Inteligência ou de espionagem da concorrência. As ações de Contra-Inteligência buscam detectar o invasor, neutralizar sua atuação, recuperar ou mesmo contra-atacar por meio da produção de desinformação. Os segmentos de proteção do conhecimento abrangem a segurança dos talentos humanos, das áreas e instalações, dos documentos e materiais, dos sistemas de informação, de comunicações e de informações. Este programa permite a uma organização tornar-se significativamente menos vunlnerável aos concorrentes por meio da proteção da informação competitiva.

 

9. O que é Inteligência Competitiva?

É um processo informacional proativo que conduz à melhor tomada de decisão, seja ela estratégica ou operacional. É um processo sistemático que visa descobrir as forças que regem os negócios, reduzir o risco e conduzir o tomador de decisão a agir antecipadamente, bem como proteger o conhecimento gerado.

Esse processo informacional é composto pelas etapas de coleta e busca ética de dados, informes e informações formais e informais (tanto do macroambiente como do ambiente competitivo e interno da empresa), análise de forma filtrada e integrada e respectiva disseminação.

O processo de Inteligência Competitiva tem sua origem nos métodos utilizados pelos órgãos de Inteligência governamentais, que visavam basicamente identificar e avaliar informações ligadas à Defesa Nacional. Essas ferramentas foram adaptadas à realidade empresarial e à nova ordem mundial, sendo incorporadas a esse processo informacional as técnicas utilizadas: (1) pela Ciência da Informação, principalmente no que diz respeito ao gerenciamento de informações formais; (2) pela Tecnologia da Informação, dando ênfase as suas ferramentas de gerenciamento de redes e informações e às ferramentas de mineração de dados; e (3) pela Administração, representada por suas áreas de estratégia, marketing e gestão.

 

10. Por que a utilização de Inteligência Competitiva se tornou importante?

O ambiente globalizado e os avanços tecnológicos estão provocando mudanças rápidas no ambiente competitivo nunca antes vistas no mercado. Esse ambiente de incerteza dificulta a tomada de decisão, principalmente no que diz respeito ao longo prazo. Em muitas indústrias uma decisão errada pode levar à falência da organização. Para sobreviver nesse ambiente temos de dispor de um sistema de IC que forneça informações analisadas de forma integrada e tempestiva para que se possa tomar decisões mais seguras e em tempo real, garantindo, assim, a sobrevivência da empresa. Além do mais, se o seu concorrente está implantando ou já tem um sistema de IC, você vai arriscar ficar sem um ?

 

11. Por que o Código de Ética e o de Conduta são importantes para o profissional de IC ?

O código de ética para a Inteligência Competitiva tem como objetivo nortear o trabalho do profissional de IC, principalmente na etapa de coleta de dados e pedaços de informação, fase em que há dúvidas quanto ao que é certo ou errado. Em tal momento a linha divisória entre o trabalho de Inteligência e a espionagem pode se tornar tênue. As discussões sobre a ética são focadas nas decisões de cada indivíduo e, nesse sentido, ela se torna importante no trabalho de Inteligência Competitiva. A inclusão da ética na agenda dos profissionais da área de Inteligência Competitiva foi sugerida pela importância da questão para a comunidade de IC e a crença de que deslizes éticos na prática da profissão freqüentemente resultam da ignorância, em vez da intenção. O código de ética se constitui em uma necessidade na atividade de Inteligência por diversos motivos. Por exemplo, o fato de ser uma atividade recém ingressada no País e ainda ser considerada uma prática imatura. Assim, os princípios e valores que devem guiar e orientar a atuação desses profissionais devem ser adquiridos e cultivados.

 

12. Qual a diferença entre Inteligência Competitiva e Gestão do Conhecimento?

A discussão sobre Gestão do Conhecimento surge na década de 90 e tem como objetivo gerenciar o conhecimento acumulado de funcionários a fim de transformá-los em ativos da empresa. Ela cria condições para que o conhecimento seja criado, socializado, externalizado dentro da empresa, transformando-o de tácito em explícito.

Já a Inteligência Competitiva está mais voltada para a produção do conhecimento referente ao ambiente externo da empresa. Entretanto cabe salientar que a implantação da Gestão do Conhecimento nas empresas facilita a atuação da área de Inteligência Competitiva e vice-versa.

 

13. Qual a origem da IC?

A IC, sob diversas outras denominações, tem acompanhado o desenvolvimento da história e da humanidade. Desde que o homem aprendeu a trocar e vender seus produtos, ele sempre procurou vantagens competitivas. Embora, nos últimos três séculos, a Inteligência tenha sido mais utilizada pelos militares e pelos Estados, o fim da Guerra Fria e o começo do processo de globalização da economia passou a exigir que as empresas também contassem com informações acuradas para o seu processo decisório.

  

14. Qualquer pessoa pode fazer um curso de IC?

Sim. Embora seja mais procurado por profissionais de administração de empresas, ele pode ser realizado por profissionais de quaisquer outras áreas.

 

15. Um curso de IC é suficiente para tornar uma pessoa apta para desempenhar funções de IC?

Um curso de IC fornece as ferramentas básicas. Porém, somente a experiência e a especialização formarão o profissional de IC.